Archive for Liberdade

CRENÇAS

Super respeito sua crença, por quê então você quer me convencer que estou errada na minha descrença? Você acha um absurdo que eu não creia? Você me acha burra por isso? Louca? Então me ache, mas me deixe em paz, pelo amor do seu deus e pela falta de um meu! Obrigada!

Esta mensagem é destinada a todas aquelas pessoas que não podem aguentar caladas e se sentem na obrigação de querer, insistir, incomodar, com suas tentativas de catequizar-me. Aos demais, aos que temos respeito mútuo e amor, agradeço sempre o carinho que me passam em suas orações a seus deuses!

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

COMO NOSSOS PAIS #mudabrasil #ogiganteacordou #changebrazil

Como Nossos Pais

Faz tempo que me pergunto onde está a classe artística, em especial os músicos, que sempre teve expressão forte em todos os momentos da relação povo e história.

Será que a simples lei de apoio cultural os calou? Será que o vil metal contra o qual tanto lutaram os paralisou? Será que o comodismo falou mais alto que a ideologia?

Há menos de 20 dias fui assistir ao show “Reencontro”, onde Maria Rita canta e homenageia sua mãe, Elis Regina. Durante o show ela fala sobre sua mãe, da mulher e lutadora, defensora de causas e direitos. Fala da guerreira. Da Elis quando Maria, e Maria com força.

Agora Maria, a Rita, está calada. Milton parece que emudeceu. Chico deixou para os outros. Caetano desvairou? Em Gil deu preguiça?

Pato Fú, nem piu. Skank se escondeu. Axés estão em casa em vez de nas ruas. Rockeiros parece que enrolam. Duplas fazem silêncio.

Poucos, pouquíssimos, se atrevem, e a esses respeito. Seja para ser a favor ou contra. Do lado de um ou de outro, mas… Então, os outros que assistem nos camarotes privês dessa Sapucaí nacional, dêem as caras! Soltem seus verbos. Mostrem seus atos!

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

#mudabrasil #ogiganteacordou #changebrazil

Li isso aqui escrito no Facebook da AnonymousBrasil, por um cara que nem conheço (Guilherme Borba), mas gostei:

“Não adianta mudar os jogadores, temos é que mudar as regras”.

É, é isso mesmo. Durante décadas mudamos os jogadores. Votamos em uns e outros. Alguns funcionaram em vários aspectos, ao menos por um tempo, mas nenhum funcionou 100% pelo tempo suficiente para mudar a nossa mentalidade.

Precisamos de cabeças pensantes e que tenham a capacidade de pensar no país como um todo, sem que haja a preocupação de que até mesmo nossos inimigos vão poder se beneficiar de algo pelo qual nós lutemos.

Acho que o maior problema do nosso povo não é o “jeitinho” em si. O querer se dar bem e ajudar a própria corja. Acho que o nosso problema é que não conseguimos ser verdadeiramente altruístas.

Mas tudo bem, isso é do ser humano. Difícil conhecer alguém que seja 100% altruísta – principalmente porque até nossas necessidades fisiológicas nos fazem “ir a luta”. Mas se a cada gesto que não seja pelo bem de todos ou que prejudique a sociedade conseguíssemos pensar por 10 segundos no que vamos fazer, tenho certeza que faríamos diferente e melhor!

Abrir a porta para um idoso. Parar o carro para uma pessoa poder passar (em vez de acelerar e ficar puto). Deixar uma mulher grávida sentar em um transporte público. Devolver os 0,05 centavos que o caixa nos deu a mais. Guardar nosso lixo no bolso ou bolsa quando a lixeira estiver cheia. Dar passagem no trânsito. Tomar um banho mais rápido para que nosso vizinho não fique com menos água. Fumar afastado de quem não fuma para não prejudicar a saúde alheia. Apagar as luzes desnecessárias para que a Terra sofra menos

Eu poderia seguir com essa lista por horas e metros e metros de papel. Mas nem vale a pena pois consciência é algo muito particular!

Mas tem uma coisa que sim posso falar com segurança. É sobre uma droga que dá uma sensação incrível! Tipo endorfina aos atletas. Ela se chama “SATISFAÇÃO”. E é o que acontece quando vemos que realmente fazemos a diferença. Cara, dá um “barato” incrível! Você se sente poderoso, forte, invencível!

ATENÇÃO: SATISFAÇÃO deve ser consumida acompanhada de todo e qualquer ato de CIDADANIA! Pessoas que vivem baseados na CIDADANIA correm o risco de serem mais felizes. Em caso de overdose, dá uma relaxada e curte sua SATISFAÇÃO.

image

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

#mudabrasil #ogiganteacordou #changebrazil

Dona Dilma, não se atreva! Se tirar a comunicação do povo, se cortar essa liberdade, vai estar mais evidente ainda essa ditadura mascarada e ilusionista de PT! Seu ditador Lula, do qual você é capacho, vai cair, e você vai junto. Sua “cúria” toda tem nome e sobrenome bem conhecidos por todos os brasileiros.

Dona Dilma, não se atreva a tentar calar o nosso povo – é, este povo um dia também foi o seu! O Facebook, o Twitter são apenas nossas ferramentas. Os “Cara Pintadas” não tinham nem celulares…

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=320945921372309&set=a.149992591800977.32761.149968585136711&type=1&theater

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

ELECTION’S DAY

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

HISTÓRIA, NADA DE ESTÓRIAS!

“Enquanto não atravessarmos nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades… Para viver a dois, antes, é necessário ser um.” – Fernando Pessoa.

Sempre me foi difícil ter relacionamentos plenos pois sempre acreditei não necessitar um par para ser feliz. Os necessitei como companheiros em vários momentos, mas não para me constituir como pessoa, para ser plena. Eu não tenho outra metade posto que nasci inteira! Não sou laranja nem outra fruta! Escolhi compartilhar minha vida, e escolher é diferente de precisar.

Mas a recíproca não me pareceu igual. Assim nenhum dos lados puderam ser felizes depois que a paixão do princípio se acalmou. Acho que por isso não perdurou, não tinha como perdurar. Quando a necessidade de um par é tão diferente, a relação fica capenga. Isso acontece a toda e qualquer união social, seja casal, família, amigos, trabalho. Quando o objetivo e/ou as necessidades da união se diferem, a união não pode permanecer estabelecida.

E aí as diferenças ficam soberbas! E essa soberbia incomoda muito, transformando-se em verdadeira T.N.T.

As gracinhas viram ironias. As piadas, provocações. O nível social que dantes não era problema, passa a ser um despautério! A intelectualidade divergente que podia dar até um certo molho picante no início, passa a ser falta de inteligência cortante!! A variedade cultural de um lado vira snobismo à singularidade do outro.

Mas as experiências servem para o aprendizado e crescimento humano. E por mais que doa, transformar a dor é direito e evolução do ser humano. Intuito de alguns, conquistas de pouquíssimos já que para isso havemos de nos aprofundar mais e mais nessa dor, senti-la ainda mais forte. Aí então poderemos começar a destrinchá-la, entendê-la e tirar-lhe proveito.

Ou então simplesmente fechamos o livro, o ignoramos, repetimos tudo de novo, fracassamos uma e outra vez, e ficamos ali no mesmo lugar acreditando em uma evolução frágil e mascarada. E a vida passa. Pode até que a estória perdure, mas a evolução ficou estancada muito tempo atrás…

Para alguns, ou muitos, essa simplicidade (na falta da palavra simploriedade) pode ser suficiente, mas não para mim! Os simples resolvem a complexidade, os simplórios a evitam. Antes de alimentar minh’alma ou corpo, necessito alimentar meu cérebro. E cérebros se alimentam apenas de outros cérebros!

Uma vez alguém me disse que errar o mesmo erro uma e outra vez era como assistir o mesmo filme e a cada vez, esperar que o herói não morresse no final, esquecendo que tudo aquilo era apenas a re-apresentação do mesmo filme, apenas com um casting diferente.

Por isso não releio as mesmas estórias…

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

CONCLUSÃO DE FATOS?

A frase é de Freud, nenhuma novidade e muitos a conhecem. Mas sabe quando a gente finalmente começa a colher os frutos de uma longa e profunda transformação em nossa vida? E tomamos o conhecimento que esses frutos não são temporários, que são simplesmente parte do seu “eu”?

A transformação ocorre ao seu redor, na sua vida, feita por você e forçada pelos acontecimentos da vida, mas o que vem à tona mesmo, depois de você finalmente conseguir respirar sem esforço é a sua essência!

Pois é, essa frase de Freud me mostrou com tanta simplicidade a base de toda minha transformação, resgate de quem realmente sou e meus questionamentos! Aqui vai:

“QUANDO A DOR DE NÃO ESTAR VIVENDO FOR MAIOR QUE O MEDO DA MUDANÇA, A PESSOA MUDA.”

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

NADA ALÉM (Zeca Baleiro + Frejat)

“Fique com os seus bonsais, seus haicais
Sua paz, suas flores, seu jardim de inverno
Se isso é céu
Eu prefiro meu inferno”

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

CHO KU REI

 

Sorry, but it’s really an addiction! I’m not the kind who likes big tattoos (even that I have a decent size dragon on my right leg), I prefer the tinny kind with lots of personal meaning! This is a Reiki symbol employed as a seal or amulet of protection.
My ex-mother in law introduced me to Reiki and I became a reikian level 2. Secretly, I always used it when somebody was in some kind of trouble, on every newborn baby I hold, every pregnant women I helped, every patient who was in need. I also used for myself, my family and my friends. Now I have it on my right wrist. It’s really tiny, around 1,5 cm! And even that it looks black in the pic, it’s blue, a peaceful color.
Well, #10 is done!!

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

APRIL 3rd

Today is my mom’s birthday. I can’t believe is the first time in 11 years that we spend her birthday together!

I’m so happy I came back to Brazil and to the life I want and deserve. Surrounded by very nice friends and being able to make reality of a lot of my dreams. Working on what I want, on my own schedule, and becoming better and better each day, as a professional, and in my personal life too.

Happiness is this… Is simple, is smooth, is being able to be who I am, not worrying about how people will “see” me, or understand my actions. Happiness is to be in a cozy place with a few friends and have crazy philosophical conversations! Is to dream and go for it! Is the possibility to dance and fly free, without weights to anchor me.

Mom, thanks for making me have a wonderful and happy YOUR birthday!!

And let’s fly… And fly… And fly…

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page