Archive for Gosh!

ROCINHA, MON AMOUR!

Leiam. Entendam. Vale a pena para abrir os olhos!

OPINIÃO – FOLHA DE SÃO PAULO

EXÉRCITO SERVE PARA TUDO, MENOS PROTEGER QUEM VIVE NA ROCINHA

(Por GEOVANI MARTINS – 26 anos, escritor e morador da Rocinha para A FOLHA – 25/09/2017)

Tropas das Forcas Armadas faz inervenção na favela da Rocinha, zona sul do Rio de Janeiro.

Quando vi os tanques de guerra entrando no morro, não pude deixar de pensar no verão, 40º C na sombra, a gente sem água por mais de uma semana, tendo muitas vezes que chegar do trabalho e procurar forças pra buscar água no poço ou numa fonte pra tomar banho, fazer comida, lavar a louça. Nos dias sem luz, aquele calor, aquele suor, o ventilador parado, o medo de estragar a comida na geladeira. Naquele menino de dez anos que começa a flertar com o trafico enquanto a mãe está no trabalho. Naquele projeto de futebol, surfe, judô, teatro, música, entre tantos outros, interrompidos pela falta de recursos. Fiquei pensando. Nessas horas, onde é que esteve o Governo do Estado do Rio de Janeiro?

Uma coisa é certa, já estamos acostumados a nos virar por conta própria. A arquitetura do morro, desde os becos, vielas e escadas, até as casas, igrejas, mercados, é a maior prova disso. Aquele vizinho que te empresta uma tomada pra ligar a geladeira e preservar seus alimentos, aquela vizinha que te avisa que está caindo água e faz questão de lembrar que não se pode esquecer de encher os baldes; mostram que apesar de tudo, não estamos sozinhos.

Os tanques de guerra subindo, os caveirões passando, continuei pensando: o que realmente motivou essa ação militar tão repentina? Vieram várias respostas na cabeça: o fato da Rocinha estar no caminho entre Gávea e São Conrado, entre São Conrado e Barra, o Rock in Rio, os alunos da Escola Americana, do Teresiano, da Escola Parque sem aula, a PUC fechada, o circo televisivo batizado pelos próprios jornalistas de cobertura completa, enfim, muitas coisas, mas em momento algum, cheguei a pensar que pudesse ser em defesa do morador.

Até porque, qualquer um com um pouco de boa vontade, pode perceber que uma ação militar convocada assim, de uma hora pra outra, sem nenhuma estratégia desenvolvida, e que usa como braço armado soldados que não conhecem a geografia do lugar e tampouco a dimensão do conflito em que estão se metendo, pode servir pra tudo, menos pra proteger o morador.

Nessas horas, é impossível não lembrar da UPP ocupando o morro. No BOPE metendo o pé na nossa porta, revirando tudo, perguntando onde é que arrumamos dinheiro pra comprar nossas coisas, exigindo nota fiscal. Tudo isso por nada, já que a quantidade de armas e drogas apreendidas nesse período foi baixa, e não demorou muito pro tráfico recuperar a mesma força de antes.

Esse filme está se repetindo agora mesmo. Com o menino de treze anos recém chegado do nordeste, que teve a casa invadida por policiais logo depois da mãe sair pro trabalho, e não sabendo responder a tantas perguntas acabou com o braço quebrado. Com os muitos moradores que enviaram fotos para a página Rocinha em Foco, denunciando a ação dos policiais, mostrando suas portas arrombadas, suas casas todas reviradas.

E em meio a tudo isso, ainda somos obrigados a ver, no espaço virtual que usamos pra nos atualizar e de certa forma, cuidarmos uns dos outros, pessoas (a grande maioria utilizando um perfil fake) xingando esses moradores, dizendo que querem denunciar os policiais militares mas não querem denunciar os traficantes. Sim, chegamos ao ponto em que grande parte da população acha super natural comparar a segurança pública com o crime organizado. Ninguém que aponta o dedo tem ideia de como dói ter os direitos violados, passar os dias ouvindo a bala cantar, carregar essa sensação de impotência, e ainda por cima, sair como culpado.

Já que comecei a falar dos comentários que recebemos de fora, não posso deixar passar batido a cobertura ostensiva da televisão, que conseguiu passar um dia inteiro sem nos dar nenhuma informação relevante e ainda faz questão de lembrar a todo momento o quanto estavam sofrendo os cariocas que precisavam passar por aquele pedaço da cidade. O nosso pedaço de cidade.

Nesse mesmo dia em que os tanques de guerra entraram na Rocinha, vi na internet uma matéria de um jornal português sobre a Cia Marginal, grupo de teatro formado no Complexo da Maré, onde destacavam a seguinte frase: A violência está no mundo. Não nas favelas. Nada pode ser mais simples: é impossível separar as favelas do mundo, esquecer que elas fazem parte de uma cidade, estado, país, é impossível ignorar seus contextos e tudo o que aconteceu até chegar nesse momento. No entanto, lembrando de tudo o que disse o governador, o chefe de segurança pública, os jornalistas na televisão, os fakes com fotos de militares, concluí que é exatamente isso o que estão tentando fazer desde sempre. Separar a favela do mundo.

(Todas as fotos são de Eduardo Anizelli/Folhapress)

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

CONIVENTES POR OBRIGAÇÃO

And for my friends in USA, these are the companies owned by J&F, the main cause of the Brazilian political crises we are going through!

Tenho certeza que a maioria das pessoas nem sabem, ou sabiam, que estavam “financiando” e sendo “coniventes” com as falcatruas da J&F comprando e consumindo seus produtos!

O grupo J&F possue:

  • Âmbar Energia
  • Alpargatas:
    • Havaianas
    • Osklen
    • MIZUNO
    • TIMBERLAND
    • Dupé
  • Banco Original
  • Canal e Rádio Rural
  • Delta Construções
  • Eldorado Brasil (papel e celulose)
  • Flora (higiene pessoal e limpeza doméstica) que inclui:
    • Albany – sabonetes
    • Assim – sabão em pó
    • BioBriz – limpeza (desinfetantes, detergentes, etc.)
    • Boa Noite – repelente elétrico e em espiral
    • Brisa – sabão em barra
    • Francis e Francis Hydratta – sabonetes
    • Fluss – blocos e pedras para vasos sanitários
    • Karina – fixadores para penteados
    • Kolene – produtos para cabelos
    • Lavarte – sabão em barra
    • Mat Inset – inseticidas
    • Minuano – (desinfetantes, detergentes, etc.)
    • Neutrox – produtos para cabelos
    • No Insect – repelentes
    • Ox – produtos para cabelos
    • Phytoderm – produtos para cabelos
    • Protege – sabonetes
  • Floresta Agropecuária
  • JBS:
    • Friboi
    • Reserva – Friboi
    • Do Chef – Friboi
    • Angus – Friboi
    • MassaLeve
    • Maturatta
    • SEARA Alimentos
    • SWIFT
    • Anglo
    • Bordon
    • Excelsior
    • Frangosul
    • Lebon
  • Marca TARGET (products)
  • Laticínios:
    • Amélia
    • Carmelita
    • Danúbio
    • DORIANA
    • ITAMBÉ
    • Faixa Azul
    • Franciscano
    • Leco
    • Mesa
    • Serrabella
    • VIGOR
  • Funpet – ração animal pet
  • NovaProm – colágeno
  • JBS Biodiesel
  • JBS Couros
  • JBS Latas
  • JBS Transportadora
  • JBS Envoltórios

Estas são as que encontrei oficialmente, imagino que tenham participação em muitas outras!

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

STOP THESE BSs! JUST STOP IT!

You know something that really drives me crazy and angry?

People who spread lies about cancer be cured by honey and cinnamon, or frozen lemon rasps on every food, or some tea or some berry juice you can find in your regular grocery store.

People, THINK! Please use the grey thing inside your head to THINK!

If those things would cure cancer (or any of the terrible diseases people writes about) there would be no one suffering and fighting it!

Somethings are true about helping to improve your immune system, what will help you fight the disease WITH your regular treatment!

But, please, DON’T EVER TELL A MOM THAT LOST HER KID, A FAMILY MEMBER THAT LOST A LOVED ONE, KIDS WHO LOST A PARENT, A PATIENT, A SURVIVOR, that cancer can be cured using lemon juice with green tea mixed with some berry from the Himalaya drunk while you jump three times turning to the sunset point 4 times a day, and that nobody tells you that because the pharmaceutical industry wouldn’t allow it.
We are not retarded, we are survivors, fighters or in pain because we had lost someone. We went through hell and then a freaking berry, or juice, or whatever could have done the work easier?! C’mon!!!

And using that grey matter again… Don’t you think the pharmaceutical lab that comes up with a cure for any cancer would spread it to the world and get famous and receive billions and billions of dollars? They would be bigger than any god!

GEEZ!!

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

WHAT WOULD HITLER DO? or PRE EXISTENT CONDITIONS

OK. Here they are.

The 50 PRE EXISTENT CONDITIONS – actually much more than 50 because there were a few conditions into others.

Isn’t this a technic to exterminate the human race? Leave a lot of people with any kind of health condition (or just condition because a lot of these are not health issues!) without health care because they will not be able to afford it, to die.

This sounds so much like fascism:
WHAT WOULD HITLER DO? ✋🏻HAIL, HITLER!

– ACID REFLUX
– ACNE
– Acromegaly
– AIDS/HIV
– Alcohol or drug abuse with recent treatment
– ALLERGIES/ OTHER SEASONAL DISORDER
– Alzheimer’s/dementia
– Amyotrophic Lateral Sclerosis
– Anemia (Aplastic, Cooley’s, Hemolytic, Mediterranean or Sickle Cell)
– Anorexia
– ANXIETY
– Aortic or Mitral Valve Stenosis
– ARC
– Arteriosclerosis
– Arthritis
– Asbestosis
– ASTHMA
– Bipolar disease
– Bulimia
– Cancer
– Cardiomyopathy
– Celiac Disease
– Cerebral Palsy (infantile)
– Chronic Obstructive Pulmonary Disease
– Cirrhosis of the Liver
– Coagulation Defects
– Congestive heart failure
– Coronary artery/heart disease, bypass surgery
– Crohn’s disease
– C-SECTION (have had)
– Cystic Fibrosis
– Demyelinating Disease
– Depression
– Dermatomyositis
– Diabetes
– Dialysis
– Epilepsy
– Esophageal Varicosities
– FRACTURES
– Friedreich’s Ataxia
– HEART BURN
– Hemophilia
– Hepatitis (Type B, C or Chronic)
– High cholesterol
– HYSTERECTOMY
– Kidney disease, renal failure
– KIDNEY STONES
– KNEE SURGERY
– Lupus
– Lyme Disease
– MENSTRUAL IRREGULARITIES
– Mental disorders (including Obsessive Compulsive Disorder, Schizophrenia)
– MIGRAINES
– Multiple Sclerosis
– Muscular Dystrophy
– Myasthenia Gravis
– Narcolepsy
– Obesity – they including ‘BEING OVERWEIGHT’
– Organ transplants (both receiver and DONOR)
– Pacemaker
– Paralysis
– Paraplegia
– Parkinson’s disease
– Pending surgery or hospitalization
– Pneumocystic pneumonia
– Polycythemia Vera
– Postpartum depression
– PREGNANCY or EXPECTANT PARENT (includes men)
– Psoriatic Arthritis
– Pulmonary Fibrosis
– RAPE (have been)
– Renal Failure
– Sarcoidosis
– Scleroderma
– Seizures
– Sex reassignment
– SEXUAL DEVIATION OR DISORDER (I mean, being gay! It’s ridiculous!)
– Sjogren’sSyndrome
– Sleep apnea
– Stroke
– Transsexualism
– Tuberculosis
– Ulcers
– HUMAN
– BE ALIVE
– BEING BORN

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

JE SUIS MIGRANT

Eu não consigo passar incólume pelas tragédias do mundo. Nunca consegui. Eu não tenho estrutura psicológica para ver a fome, a dor, a miséria alheia sem que me afetem de forma praticamente pessoal. Choro, perco o sono, me estresso, tento imaginar soluções. Talvez eu seja muito passional, viva tudo muito a flor da pele. Mas não sei viver sem me preocupar pelo todo, pelo conjunto. Definitivamente eu não sei ser feliz sozinha! Posso ficar muito feliz por algo bom que aconteça a outras pessoas, mas não consigo ficar inteiramente feliz por algo de bom que aconteça só a mim.

image

Quando saí do Brasil pela primeira vez, me vi conscientemente aliviada ao não ver mendigos e crianças nas ruas pedindo esmola. Mas depois sofri morando na Espanha na época da guerra da separação da Yugoslavia. Participei do grupo da Cruz Vermelha fazendo triagem pra ver para onde seriam enviados os refugiados – a Espanha foi dos países que mais recebeu imigrantes da Yugoslavia.

Me lembro ainda antes, ainda criança, de chorar à noite quando vi as atrocidades de Idi Amin Dada – acho que foi a primeira vez que tive consciência do que é a maldade em massa. Sofro com as atrocidades de Mugabe no Zimbabwe. Tenho pesadelos com o Boko Haram. Ruanda. A exterminação de indígenas. O Apartheid. Faixa de Gaza. As milícias. Jalisco. As guerras e genocídios com desculpas religiosas. O sequestro de mais de 200 meninas estudantes para ser escravas sexuais. Os traficantes com suas leis de superioridade. Malala. Betty Mahmoody. Ayaan Hirsi Ali. Tibetanos massacrados por chineses. Os curdos por Saddam Hussein. Al Qaeda. Timor Leste. Biko. Camboja. Maagreb. Haiti. Líbia. Eritreia.

Hoje, vejo os refugiados andando quilômetros com apenas uma mochila ou um saco de dormir. Gente com cara de pobre, de rico. Gente bem ou mal vestida. Gente igual a nós. Pessoas que tinham uma vida normal, digna, tendo que deixar tudo para trás para simplesmente sobreviver dos horrores de grupos terroristas assassinos cruéis como o Estado Islâmico. E sempre alguém usando os livros sagrados, Al Quoran, Bíblia, ou o que seja, como justificativa para seus atos cruéis!

Anteontem eu vi um menino deitado na beira da praia. Parecia sereno. Parecia que dormia. Nos braços do guarda, sem ler a legenda, ainda parecia um menino dormindo.

Ele estava morto. Náufrago de um dos tantos barcos que tentam cruzar o Mediterrâneo e o Adriático em busca de uma oportunidade de vida, só vida, sem importar muito a qualidade. Ele, com seus pais e irmão, tentavam fugir da morte pelas mãos de bárbaros genocidas e caíram no colo da morte de um mundo que lhes negou a esperança.

Ele está morto. Ele está morto. Ele está morto! E não há nada que a gente possa fazer para ignorar ou apagar aquela imagem das nossas mentes.

Então eu choro…

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page