E PARA ONDE VAMOS AGORA?

BetinhoQualquer ditadura é maléfica! Qualquer governo impositor é cruel! Mas não é porque hoje o “Lulismo” destruiu o país que vou dizer “na época dos militares era melhor“, porque não era!

Cresci no Rio de Janeiro e morava na rua onde as tropas do exército se reuniam para invadir a PUC-RJ, um dos centros ‘pensantes’ e idealistas do país naquela época. Ouvi no meio da madrugada os barulhos das surras e os gritos dos ‘comunistas’ na 15ª DP do Rio, em frente à minha casa por 12 anos.

Depois, no comecinho da minha adolescência, tive o prazer de lutar (dentro do que uma criança pode fazer) pela Anistia Ampla, Geral e Irrestrita. Chorei quando vi Betinho chegando no aeroporto. Na escola de arte onde minha mãe, artista plástica, estudava, tinha um agente do DOPS para ‘controlar as mentes pensantes’ já que ser artista naquela época significava ser comunista; e ser comunista significava ser o demônio encarnado!

Também tive a minha maior decepção política quando lutei, desta vez já estudante de Sociologia e Ciências Políticas (!!) da PUC-RJ e vice-presidente do DCE PUC-RJ, pelas DIRETAS JÁ e perdemos.

Mas não sou de esquerda. Muito menos de direita. Sou liberal. Aceito a ordem e os valores de respeito à sociedade como um todo, como um grupo onde todos tem direitos equivalentes às suas contribuições – claro está que os direitos à saúde, educação e condições dignas de trabalho TEM que ser dados igualmente a todos independente da sua contribuição posto que estes são os valores básicos de qualquer sociedade.

Se na época dos militares havia ordem, era por medo. Se diziam que as escolas públicas eram boas, era por medo. Se não faziam greves, era por medo. Se não haviam reivindicações , era por medo. Se não reclamavam dos hospitais públicos, era por medo. Tudo era regido sob a batuta cruel, e eficaz, do medo já que os que enfrentaram foram punidos com cadeia, tortura, exílio ou a morte.

Sou a favor do lucro financeiro lícito, sou a favor das riquezas pessoais. Não acho que tenhamos que dividir o que ganhamos por merecimento e labor, com todos. Sou a favor de pagar impostos justos e receber em troca serviços relativos ao valor dos nossos impostos. Na época dos militares, se me lembro bem, a inflação era um monstro de 20 cabeças soltando fogo pelas narinas! Eles viviam o laissezfaire e o povo que entrasse pelo cano. Nem pensar era permitido… Articular o pensamento então, nem se fale!

Militares enriqueceram (hoje estão decadentes) ilicitamente. E fizeram tudo igualzinho os “Lulistas” estão fazendo, só que esses agora não usam farda, mas Armani. Nem uns nem outros já que nesta, um gambá cheira o outro!

Não, amigos, deixemos os militares onde estão, mais afastados do governo. É bem claro que todos os países, mesmo que não ditatoriais em que há militares, ou pseudo-militares, em seu governo, tem seu povo sofrendo.

Um grande país só é real quando o seu povo, o povão mesmo, tem dignidade. A violência diminui, a corrupção se ameniza (não sejamos ingênuos a ponto de acreditar que exista país com 0% de corrupção!), e passamos a criar cidadãos com futuro.

No dia em que nós todos, ao menos uma maioria, conseguir entender que só lucramos quando todos lucram, quando brasileiro deixar o pensamento egoísta e passar a pensar comunitariamente (nada a ver com comuna, por favor!), aí sim, vamos ser um país que vale a pena!

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Email this to someonePrint this page

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *