COEXISTIR

Por que tanta gente religiosa quer que a gente aceite e respeite a religião deles, mas nunca aceitam a nossa falta de religião?? Será que é tão difícil assim aceitar que sua verdade não é universal? Será que é tão difícil entender que somos diferentes, gostamos de coisas diferentes, acreditamos em outras verdades, e que justamente isso é que faz o mundo e as pessoas serem tão interessantes?? Será que é tão difícil assim respeitar os demais em vez de somente exigir respeito??

 

Eu cresci numa família católica – não meus pais, mas o resto todo da família – e eles, apesar de sempre terem a esperança de que um dia eu acredite e tenha fé, me respeitam do jeito que sou. E eu, do meu lado, também aceito e respeito a crença deles, participo quando necessário ou quando me é pedido, jamais obrigada ou forçada, e nunca, jamais, os tento convencer de participarem da minha verdade! 

 

Engraçado que não vemos ateus ou agnósticos militando enraivecidos na porta de templos – o máximo que vi até hoje foram ateus pedindo respeito e igualdade! Mas o contrário já não é igual! Tanta gente já foi agredida até fisicamente por não terem fé, tantas guerras por causa de divergência de religião… Sei que não estou sendo iluminada e falando nenhuma novidade, mas se houvesse respeito o mundo seria tão mais feliz!

9 comments

  1. Ciça says:

    Naluh eu comecei a entender esse pensamento, essa atitude quando percebi que na cabeca deles a salvacao DELES depende na NOSSA. Ou seja, eles se acham responsaveis por nossas almas.

    A Madrinha do Johan é Catolica Apostolica Romana Renovada e acredita nisso. Ela acha que presterá conta de cada “ovelha” de seu rebanho que perdeu (ela é coordenadora de um grupo de oracao). Nao é extremista, e espero que nunca chegue, mas é por ai que vai o pensamento!

    Minha salvacao é mais importante que o respeito ao proximo! Durma com um barulho desses

  2. Mauro says:

    Este comentário serve para este post e o anterior sobre casamento homossexual:

    Religião não se interessa por respeito, igualdade ou tolerância, só falam isso da boca para fora para tirar o rabo da reta se alguém criticar. A única coisa que eles querem é impôr as idéias deles nos outros de qualquer maneira que consigam. Já venho falando isso há anos.

    O pessoal “moderado”, aqueles que são “não praticantes”, os que vão na onda ou só prestam atenção nas partes bonitinhas da religião deles só servem como escudo para proteger o povo mais ortodoxo e radical que quer forçar a religião deles em todo mundo.

    Como regra geral, os moderados nem ao menos conhecem a religião que praticam. A única coisa que conhecem é a versão resumida, sanitizada e PC, que não é nada parecida com a versão dos livros sagrados deles.

  3. Kirk Talon says:

    Seu marido ateu continua com tolerância limitadíssima a intolerância do povo religioso. Se tem um cara invisível anotando nossas transgressões, mantendo tabela de quantos palavrões foram ditos semana passada, hábitos masturbatórios de adolescentes, dízimos não pagos e com essas informações decidindo nosso destino eterno, eu, por minha parte, estou prontinho para ser o mais novo morador do inferno… Porque (e ando levando bronca da minha amada por isso) não só duvido mas ultimamente faço muito pouco!

  4. Naluh says:

    Ciça e Mauro… Concordo, lógico, com tudo o que vocês escreveram. O pior é exatamente o que a Ciça diz: eles fazem isso para salvarem a própria pele, nem na catequização teem boas intenções: quando fingem quererem salvar nossas almas, na verdade estão é tentando garantir o seu! É fogo, viu?!

  5. Paula says:

    Menina, as vezes penso até que eles ficam mais irados se ao invés de não acreditar em nada, vc acredita no errado! Cansei de ouvir babozeira por ser espírita. Uma me disse com aquele tom de voz á la filme de suspense que eu iria queimar por toda a eternidade no inferno por acreditar na religião de sanatás… Agradeci pq assim ao menos não ía passar frio e estar junto com 99,99999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999% do pessoal que conheço e gosto.

    É como diz um conhecido meu: respeito e moral não se prega, se exemplifica. E o comportamento deles perante isso já diz tudo!

  6. calidri says:

    Cada um de nós,tem o direito de acreditar e seguir o que quiser.Tenho amigos de várias crenças e cada um tem o seu jeito especial de ver as coisas.Respeito isso e tenho em mim que eles tem que respeitar o meu jeito de receber de cada um,coisas boas, que possam acrescentar a minha existencia.Sem que eu tenha que ser seguidora de uma determinada religião ,para que eu seja merecedora.

  7. Bruna says:

    Respeito total é uma realidade distante, infelizmente! Mas, quem sabe, um dia…

  8. Naluh says:

    Úia a Bru aí!!!!!

  9. ALBERTINA GOMES says:

    Antes de qq crença ou religião, não podemos esquecer que devemos encarar uns aos outros como seres humanos que somos, limitados e não perfeitos. Jamais impor nossas “verdades”. Os que mais sentem necessidade de sair por aí pregando são exatamente os que estão precisando de ajuda. Nos dias de hoje onde falta tempo prá tudo, é “pecado” heheheee roubar tempo dos outros com pregações inúteis.. pq mistério é mistério, não se explica porque daí complica. O que não pode ser resolvido, no momento, resolvido está e pronto. Conheço beatas, puritanas, moralistas, que não conseguem resolvem seus problemas em casa, deixam a família ao Deus dará, saem por aí na sua “missão” de pregar… como se fossem resolver os problemas do mundo. Eu gosto mesmo é de pregar prego.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *